01/06/2023 às 11h04min - Atualizada em 01/06/2023 às 11h04min

PIB cresceu 1,9% no primeiro trimestre

Safra excepcional foi um dos motores do PIB no primeiro trimestre de 2023

Da Redação
gazetadopovo.com.br
Foto: Michel Willian/Arquivo/Gazeta do Povo

BRASIL - O PIB do primeiro trimestre cresceu 1,9% contra os últimos três meses do ano anterior, segundo dados divulgados nesta quinta (1°) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o melhor começo de ano desde 2010, quando a economia brasileira cresceu 2,2%. 

Os números foram impulsionados pelo bom desempenho da agropecuária, a resiliência do setor de serviços e a boa performance dos segmentos mais expostos à transferência de renda por parte do governo federal. 

Frente ao mesmo trimestre de 2022, o PIB cresceu 4,0%. No acumulado dos quatro últimos trimestres, o PIB subiu 3,3% ante os quatro trimestres imediatamente anteriores. 

Os bons números do campo 

A agropecuária teve um crescimento de 21,6% no primeiro trimestre. "Problemas climáticos impactaram negativamente a agropecuária ano passado e esse ano estamos com previsão de safra recorde de soja, que representa aproximadamente 70% da lavoura no trimestre, com crescimento de mais de 24% de produção. A safra da soja é concentrada no primeiro semestre do ano. Ao compararmos o quarto trimestre de um ano ruim com um primeiro trimestre bom, observamos esse crescimento expressivo da Agropecuária”, analisa a coordenadora de contas nacionais do IBGE, Rebeca Palis. 

Ainda no campo positivo, o setor de serviços, que tem o maior peso no indicador, cresceu 0,6% no período. O resultado foi puxado, principalmente, pelas altas nos setores de transportes e atividades financeiras, ambos com crescimento de 1,2%. 

“A alta no setor dos transportes foi influenciada tanto pelo transporte de carga quanto o de passageiros e nas atividades financeiras, foi puxada pela parte de seguros, pois o valor dos prêmios cresceu, mas o dos sinistros caiu, e o setor tem um ganho quando acontece isso”, pontua Palis. 

A indústria apresentou estabilidade (-0,1%) no primeiro trimestre de 2023. “A queda na indústria de transformação foi influenciada pelas quedas de bens de capital e bens intermediários, enquanto a atividade de eletricidade e água, gás, esgoto, atividades de gestão de resíduos subiu 6,4%, visto que estamos em um momento de boas condições hídricas, sem escassez”, pontua Palis. 

Consumo das famílias aumenta e investimento cai

Pela ótica da despesa, o consumo das famílias (0,2%) e o consumo do governo (0,3%) apresentaram variações positivas, enquanto a formação bruta de capital fixo, como os economistas chamam o investimento, (-3,4%) registrou queda. 

O setor externo contribuiu positivamente para o crescimento, já que as exportações de bens e serviços tiveram variação negativa de 0,4% ao passo que as importações de bens e serviços caíram 7,1% em relação ao quarto trimestre de 2022. 

Taxa de investimento cai e poupança aumenta 

No primeiro trimestre de 2023, a taxa de investimento foi de 17,7% do PIB, abaixo da observada no mesmo período de 2022 (18,4%). Já a taxa de poupança foi de 18,1%, acima da taxa registrada no mesmo período de 2022 (17,4%).


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://efatonoticia.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Seja nosso anunciante? fale conosco pelo Whatsapp