20/02/2024 às 10h13min - Atualizada em 20/02/2024 às 10h13min

Estadão diz que fala de Lula sobre Israel é “vandalismo diplomático”

Jornal fez duras críticas ao presidente por conta de declaração do petista sobre o conflito entre os israelenses e o Hamas

Da Redação
Pleno News
Lula Foto: Ricardo Stuckert/PR


BRASIL - Em um editorial publicado nesta terça-feira (20), o jornal O Estado de São Paulo criticou a declaração feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no último domingo (18), quando o petista comparou o conflito entre Israel e o grupo terrorista Hamas com o massacre de judeus promovido por Hitler na primeira metade do século XX.

Com um texto intitulado “Vandalismo Diplomático”, o veículo disse que Lula “não precisou de mais do que um punhado de frases carregadas de ranço ideológico e antissemitismo para fazer do último domingo um dia infame na história da diplomacia brasileira”.

– Ao dizer que a guerra de Israel contra os terroristas do Hamas se assemelha ao Holocausto, Lula, a um só tempo, vandalizou a História, a memória das vítimas da indústria da morte nazista e os interesses do Brasil. Nem os mais ferozes inimigos de Israel ousaram ir tão longe nas críticas à campanha militar conduzida pelos israelenses na Faixa de Gaza – resumiu o Estadão.

No editorial, o jornal levantou duas hipóteses para a fala do petista: ignorância ou má-fé. No entanto, o veículo de imprensa logo disse que a primeira possibilidade é remota e sustentou que a má-fé seria a explicação mais plausível para a declaração feita pelo chefe do Executivo brasileiro no último domingo na Etiópia.

– A hipótese da má-fé é a mais plausível, sobretudo porque, é forçoso dizer, Lula mal escondeu que tinha lado nesse conflito ao relutar, por semanas, em reconhecer o ataque do Hamas como o ato de terrorismo que foi, além de subscrever a frágil acusação de “genocídio” contra Israel apresentada à Corte Internacional de Justiça pela África do Sul – relatou o jornal.

O Estadão disse ainda que Lula é “fiel ao discurso esquerdista raivoso contra o Ocidente” e que “sempre dá um jeito de deslegitimar Israel”. O veículo também fez questão de ressaltar o papel danoso que a fala do petista imprime pelo fato de ele ser o atual presidente e as declarações serem consideradas, por quem ouve, como sendo do Estado brasileiro.

– Assim, até prova em contrário, Lula alinhou o Brasil ao Hamas – que, não por acaso, elogiou a fala do presidente brasileiro – destacou o editorial.

O jornal encerrou o texto com a lembrança de que o Hamas “lançou um ataque covarde e particularmente cruel contra civis israelenses, que incluiu tortura, estupros e o sequestro de bebês”, e instando Lula a se retratar. No entanto, segundo o próprio veículo, a possibilidade de uma retratação é difícil e “será surpreendente” se acontecer.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://efatonoticia.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Seja nosso anunciante? fale conosco pelo Whatsapp