05/12/2023 às 11h43min - Atualizada em 05/12/2023 às 11h43min

PIB cresce 0,1% no 3º tri: o que explica a variação e o que esperar de 2024

Resultado superou expectativas dos analistas, que era de uma queda de 0,2% em relação ao trimestre anterior

Da Redação
Correio Braziliense
PIB cresce 0,1% no 3º tri: o que explica a variação e o que esperar de 2024 - Foto: Getty Images

BRASIL - A economia brasileira subiu 0,1% no terceiro trimestre em relação aos três meses anteriores, informou nesta terça-feira (5/12) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Apesar de ser uma pequena variação, o resultado superou expectativas dos analistas, que era de uma queda média de 0,2% nessa base de comparação.

Ao contrário do esperado, trata-se da terceira taxa positiva consecutiva e deixa o PIB (soma de bens e serviços produzidos no país) no maior patamar da série histórica.

De janeiro a setembro, o PIB acumulou alta de 3,2%, na comparação com mesmo período do ano passado.

O resultado trimestral é explicado, segundo o IBGE, pelo avanço registrado na indústria e em serviços (0,6% para ambos), no lado da oferta.

Ao mesmo tempo, a agropecuária caiu 3,3% – segundo os dados revisados, foi a primeira queda da atividade após cinco trimestres com taxas positivas. O setor tinha sido o motor do crescimento acima da média no começo do ano, registrando uma alta de mais de 20% de janeiro a março.

Na ponta da demanda, houve queda de 2,5% nos investimentos em relação ao segundo trimestre, e alta no consumo das famílias (1,1%) e do governo (0,5%).

Taxa de juros

"A dissipação do choque positivo na agricultura e o arrefecimento da demanda interna explicam em grande parte o enfraquecimento do PIB neste semestre", analisou a XP em relatório na manhã desta terça-feira, antes da divulgação do resultado.

"Esse cenário reforça o espaço para o Banco Central continuar cortando as taxas de juros nos próximos meses", seguiu a XP na avaliação.

O banco de investimentos previa uma queda de 0,2% frente ao trimestre anterior (1,8% de alta ano contra ano).

Desde agosto, o BC começou uma redução da taxa básica de juros Selic em 0,5 ponto percentual em cada uma de suas reuniões, até chegar aos atuais 12,25%. A próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central está marcada para os dias 12 e 13 de dezembro.

Desde o trimestre anterior, os analistas já se perguntavam: o melhor momento da economia brasileira sob Lula ficou para trás? O motivo é que a maioria das análises prevê um PIB menos vigoroso para 2024 do que o de 2023.

Na mais recente edição do Boletim Focus do Banco Central, os economistas e instituições ouvidas esperam uma alta de 1,5% do PIB em 2024, contra 2,84% em 2023.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://efatonoticia.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Seja nosso anunciante? fale conosco pelo Whatsapp